Postado em 20 de Fevereiro de 2019 às 13h52

Saretta é reeleito presidente da Comissão de Saúde pelo terceiro ano consecutivo

Deputado Neodi Saretta foi reeleito, por unanimidade, como presidente da comissão de Saúde. 

Florianópolis - A comissão de Saúde é uma das pastas mais importantes da Assembleia Legislativa. Pelo trabalho relevante que vem desenvolvendo, o deputado Neodi Saretta foi reeleito, por unanimidade, como presidente da comissão de Saúde. O deputado, que sempre teve como prioridade as questões voltadas à saúde, destacou os desafios para 2019.

“Estou muito feliz por novamente presidir a comissão de Saúde. Teremos muito trabalho pela frente como; a articulação para aplicação dos recursos; a manutenção da emenda que prevê os 15% para a saúde; o debate sobre o auxilio aos hospitais públicos e filantrópicos e a redução da fila de espera que ainda esta muito longa”. 

Já na reunião de instalação, Saretta propôs a participação do Secretário Estadual de Saúde em uma das primeiras reuniões da comissão. “Estamos fazendo um convite para que o secretário compareça numa das reuniões e nos apresente o seu plano de trabalho e nós, membros da comissão, também iremos relatar nossas propostas”. 

Saretta finalizou dizendo que continuará cobrando e sendo vigilante das ações do governo. Ele entende que a saúde, em Santa Catarina, precisa melhorar de forma urgente para atender todos os catarinenses.

Veja também

Marco Feliciano pede impeachment do vice-presidente Hamilton Mourão18/04/19 O deputado Marco Feliciano (Pode-SP) apresentou um pedido de impeachment contra o vice-presidente da República, General Hamilton Mourão. Em texto publicado no Twitter, o parlamentar, que é vice-líder do governo na Câmara, afirmou que Mourão tem praticado "conduta indecorosa". De acordo com ele, "a nação não pode ficar à mercê dos maus governantes, da vaidade e do despreparo emocional daqueles que alçados......
Lula pode sair da prisão ainda em julho deste ano24/04/19 Depois que o ex-presidente Lula teve sua pena diminuida para 8 anos 10 meses 20 dias ou 3.245 dias de prisão, com previsão de saída para o regime semi-aberto para 25 de setembro, a defesa estuda agora redução menor ainda da......

Voltar para Política