Postado em 15 de Março às 14h06

Paulinha apresenta PEC federal na área da saúde

A parlamentar levou ao plenário uma proposição para que uma Proposta de Emenda à Constituição Federal chegue ao Congresso Nacional, com o objetivo de garantir mais recursos à área.

Florianópolis - A deputada Paulinha (PDT) apresentou nesta quinta-feira uma proposição na área da saúde pública que vai além das fronteiras catarinenses. A parlamentar levou ao plenário uma proposição para que uma Proposta de Emenda à Constituição Federal chegue ao Congresso Nacional, com o objetivo de garantir mais recursos à área.

Hoje, os hospitais filantrópicos brasileiros que fazem pelo menos 60% dos atendimentos pelo SUS têm direito a imunidade fiscal sobre a seguridade social. Já os hospitais públicos, postos de saúde e Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs), mesmo atendendo integralmente pelo SUS, não recebem o mesmo benefício.

As contribuições arrecadam recursos para a seguridade social, que compreende os direitos relativos à saúde, à previdência e à assistência social. Mas se a intenção é garantir recursos para assegurar direitos relativos à saúde, cobrar a contribuição social da própria saúde é uma contradição. Por isso, o objetivo da PEC é fazer justiça fiscal à saúde pública.

Se aprovada na Alesc, a iniciativa é então encaminhada às demais 26 assembleias legislativas pelo país. Se o projeto for aprovado em mais 13 parlamentos, além do catarinense, a PEC vai automaticamente para a Câmara dos Deputados, seguindo então o trâmite normal pelas comissões até a votação pelas duas Casas do Congresso.

A partir da próxima semana, a deputada Paulinha inicia um trabalho de mobilização na Alesc para aprovação da proposição. Depois, atuação semelhante ocorrerá em outras assembleias, por meio da rede de parlamentares do PDT e também de colegas da pedetista na Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (Raps), organização suprapartidária já reconhecida por abrigar novas lideranças da política brasileira.

 

Veja também

Carlos Moisés veta uso do nome social de travestis e transexuais nos serviços públicos estaduais15/01 A proposta foi apresentada pelo deputado estadual Cesar Valduga (PC do B). Pelo texto,  travestis e transexuais teriam direito à identificação por meio do nome social quando fossem preencher fichas de cadastro, formulários, prontuários, registros escolares e documentos congêneres para atendimento de serviços públicos prestados pelo Estado....

Voltar para Política