Postado em 08 de Março de 2019 às 16h08

'Não pode levar um ano para aprovar uma reforma', diz Bolsonaro sobre Previdência

Presidente admitiu que proposta é "amarga" em "algum aspecto", mas disse que governo vai atuar para evitar que ela seja desidratada durante tramitação no Congresso.

Brasília- O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (8) que acredita que a reforma da Previdência será aprovada ainda no primeiro semestre de 2019 e que o Congresso "não pode levar um ano" para analisar a proposta

"Acredito que sim", respondeu Bolsonaro a jornalistas ao ser questionado se acreditava que a proposta de reforma da Previdência poderia ser aprovada ainda neste primeiro semestre. "Não pode levar um ano para aprovar uma reforma", completou o presidente.

Bolsonaro deu as declarações após participar, no Palácio do Planalto, de uma cerimônia em que recebeu credenciais de seis novos embaixadores que vão representar seus países no Brasil.

A proposta de reforma da Previdência foi entregue por Bolsonaro aos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre, no dia 20 de fevereiro.

Entre as mudanças previstas estão a criação de uma idade mínima de aposentadoria de 65 anos para homens e de 62 para mulheres, a ser aplicada após 12 anos de transição; e de tempo mínimo de contribuição de 20 anos.

Bolsonaro disse ainda que o governo vai "fazer de tudo" para que a proposta enviada ao Congresso não seja "desidratada" durante a sua tramitação. Entretanto, ele admitiu que a medida é "amarga."

"Sabemos em algum aspecto que é uma medida amarga, mas é uma resposta que temos que dar de uma política sem muita responsabilidade que foi feita nos últimos anos. Tem que dar um freio de arrumação agora. Até os militares vão entrar com a sua cota de sacrifício nessa reforma", disse o presidente.

A proposta recebeu críticas no Congresso e de governadores, que anunciaram a formação de um grupo para debater e apresentar ao governo sugestões de alterações no texto.

Um dos pontos que recebeu mais críticas foi o que estabelece que idosos sem meios de se sustentar terão de aguardar até os 70 anos para receber integralmente o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

O benefício, no valor de um salário mínimo, é hoje pago mensalmente à pessoa com deficiência e ao idoso com 65 anos ou mais que comprove não possuir meios de se sustentar, e nem de ter auxílio da família.

(fonte: G1)
 

Veja também

Deputada Federal Geovânia de Sá destina R$ 350 mil para Ponte Serrada27/08/19 O Prefeito Municipal de Ponte Serrada, Alceu Alberto Wrubel (Tibe) esteve reunido no início desta semana com o Presidente da Câmara Municipal de Vereadores Marcelo Wrubel, a Secretária Municipal de Saúde Adriana Pavelski, o......
Vereador Inácio pede pavimentação asfáltica na Rua Antônio de Moraes26/04/19 O vereador e presidente do Poder Legislativo Xaxinense, Inácio Luiz Bracht, teve indicação aprovada por todos os vereadores para que seja enviado expediente à Administração Municipal para sugerir a......

Voltar para Política