Postado em 14 de Março às 14h00

Clori Peroza, leva município de Ipuaçu à frente sendo a primeira mulher eleita prefeita

A quarta personagem da série “Eu, mulher”, desenvolvida pela Associação dos Municípios do Alto Irani (AMAI) é Clori Peroza.

Ipuaçu - A quarta personagem da série “Eu, mulher”, desenvolvida pela Associação dos Municípios do Alto Irani (AMAI) é Clori Peroza, a primeira mulher eleita prefeita no município de Ipuaçu, em seus 26 anos de emancipação.
Clori, 49 anos, é xanxerense de naturalidade, mas desde os três anos vive na comunidade de Samburá em Ipuaçu, onde cresceu e constituiu família. É professora, casada, mãe e recentemente se tornou avó.

A ideia de entrar para a área política, segundo Clori, chegou inesperadamente e em 2012 candidatou-se a vereadora pela necessidade de completar a quantidade de mulheres na chapa e também para acompanhar seu esposo que era candidato a vice-prefeito. A eleição foi positiva e com 212 votos, Clori ocupou uma cadeira no Legislativo.

“Foram quatro anos desafiadores, pois é um espaço ocupado principalmente por homens, onde poucas mulheres participam. Procurei desenvolver o trabalho com transparência, mostrando para o povo qual era o principal papel do vereador e que estava lá trabalhando para eles, não por interesse particular”, conta.

Com a experiência e apoio da família, amigos e companheiros políticos, na eleição seguinte disputou a vaga para o executivo municipal e tornou-se a primeira mulher prefeita no município, em seus 26 anos de emancipação, ficando à frente de municípios que em seus mais de 50 anos, nunca tiveram uma mulher no comando.

“Muitas pessoas se engajaram no projeto. Não sofri preconceitos, diferente de muitos lugares onde as mulheres sofrem por estar na política e são desacreditadas. Tive a graça de ser bem aceita pela população”. 

Para o futuro de Ipuaçu, Clori espera participação cada vez maior de mulheres nas candidaturas e assumindo lugares na Câmara de Vereadores e Prefeitura, pois considera a política uma área de ambos os sexos. Assim como qualquer outra função e cargo de liderança, seja no setor público ou privado.

“As mulheres devem se envolver em campanhas, em ações, em atos, principalmente que abordam assunto relacionados a ela, que somente ela sabe e entende. As mulheres devem se interessar por política. Devem se engajar em causas políticas. Devem crescer na política. Espero que Ipuaçu tenha mais mulheres no comando do executivo. E espero também que daqui de Ipuaçu saiam mulheres que façam a diferença na política num âmbito maior. A política precisa da mulher”, finaliza.

Veja também

Governo Jair Bolsonaro é ótimo ou bom para 35% da população, aponta CNI-Ibope24/04 Para 35% dos brasileiros, o primeiro trimestre do governo Jair Bolsonaro é visto como ótimo ou bom. Na contramão, 27% da população reprova a atual administração, considerando-a ruim ou péssima – para 31%, a avaliação é regular. A avaliação é da primeira Pesquisa CNI-Ibope sobre a gestão Bolsonaro, divulgada......

Voltar para Política