Postado em 02 de Julho às 14h19

Vice-prefeito é preso suspeito de exigir parte do salário de comissionados

PORTAL DX - O melhor da informação da Região Oeste de Santa Catarina O vice-prefeito de São Bento do Sul, Marcio Dreveck, foi preso preventivamente no final da tarde desta segunda-feira (1º), informou a Polícia Civil. Ele...

O vice-prefeito de São Bento do Sul, Marcio Dreveck, foi preso preventivamente no final da tarde desta segunda-feira (1º), informou a Polícia Civil. Ele é suspeito de concussão, que é exigir vantagem indevida em função do cargo. A Prefeitura de São Bento do Sul informou que acompanha as investigações e vai colaborar no que for preciso. O G1 não conseguiu contato com a defesa de Dreveck.
A investigação começou há cerca de quatro meses, de acordo com o delegado Gustavo Muniz Siqueira. A Polícia Civil apura denúncias de recebimento de dinheiro referente à parte do salário de servidores comissionados indicados por Dreveck no poder público municipal.


Prisão
Na tarde desta segunda, a Divisão de Investigação Criminal (DIC) de São Bento do Sul cumpriu mandado de busca e apreensão no gabinete do vice-prefeito. No local, foram apreendidos R$ 1,7 mil. Conforme a Polícia Civil, esse dinheiro foi recebido de um servidor como suposto pagamento do cargo comissionado.
Por causa disso, o delegado pediu a prisão preventiva de Dreveck. Ele foi preso durante interrogatório na delegacia e foi encaminhado ao Presídio Regional de Mafra, também no Norte catarinense. A Polícia Civil informou que ele ficou em silêncio durante o depoimento.
O delegado afirmou que os servidores suspeitos de envolvimento no caso serão ouvidos durante a semana. "Eventualmente poderá haver pedido de prisão de alguém, caso detectado delito de corrupção ativa", disse Siqueira.

Outro lado
A Prefeitura de São Bento do Sul emitiu uma nota oficial do caso em que diz que a "Administração Municipal não tolerará condutas que, se comprovadas, comprometem a atuação ética, a dignidade da função pública e o compromisso da gestão".
Também em nota diz que "após o devido processo legal, de modo que a Prefeitura, por meio dos seus agentes políticos e servidores, colaborarão no que for preciso para combater eventuais transgressões apontadas". (fonte: g1)

Veja também

Voltar para Polícia