Postado em 18 de Junho às 08h11

Quatro são condenados por peculato em Brusque

PORTAL DX - O melhor da informação da Região Oeste de Santa Catarina O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) obteve a condenação de um ex-servidor do Tribunal de Contas do Estado e de três ex-servidores...

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) obteve a condenação de um ex-servidor do Tribunal de Contas do Estado e de três ex-servidores comissionados do Município de Brusque pelo crime de peculato, por terem desviado dos cofres públicos cerca de R$ 43 mil. As penas aplicadas a cada um dos réus variam de dois a três anos de reclusão, substituídas por penas restritivas de direitos.

A denúncia que resultou na condenação foi ajuizada pela 3ª Promotoria de Justiça da Comarca de Brusque, com atuação na área da moralidade administrativa. Na ação, o Promotor de Justiça Daniel Wstphal Taylor relata que, entre dezembro de 2007 e abril de 2008, Luiz Carlos Zaia, então servidor do Tribunal de Contas de Santa Catarina, recebeu valores por serviços não prestados do Município de Brusque.

Segundo o Promotor de Justiça, em quatro oportunidades servidores comissionados - Jones Bosio, Armando Knoublauch e Maicon Juliano Heil, este último por duas vezes - atestaram falsamente que empresas ligadas à família de Zaia prestaram serviços de consultoria ao Município. Desta forma, Zaia se apropriou indevidamente (sugestão) de cerca de R$ 43 mil, em valores da época, provenientes dos cofres da Administração Municipal de Brusque.

Diante dos fatos e provas apresentados pelo Ministério Público, o Juízo da Vara Criminal da Comarca de Brusque condenou Luiz Carlos Zaia a dois anos e seis meses de reclusão; Maicon Juliano Heil a três anos e um mês de reclusão; e Jones Bosio e Armando Knoublauch a dois anos e oito meses de reclusão cada um.

Conforme previsto no Código Penal, as penas privativas de liberdade foram substituídas por duas restritivas de direitos: pagamento de prestação pecuniária de 5 (Maicon), 10 (Aramando) e 15 (Jones e Zaia) salários-mínimos e prestação de serviços comunitários à razão de uma hora por dia de condenação. A decisão é passível de recurso. (ACP n. 0000907-74.2015.8.24.0011)

Fonte: MPSC

Veja também

Incêndio destroi residência no Bairro Flor em Xaxim07/07 O Corpo de Bombeiros de Xaxim atendeu ocorrência em uma edificação unifamiliar de madeira de aproximadamente 80 m2 no Bairro Flor, onde grande área foi consumida pelas chamas. Foi utilizado para combate e rescaldo aproximadamente......

Voltar para Polícia