Postado em 16 de Janeiro às 15h28

Negada liberdade a idoso condenado a nove anos de prisão por tentativa de homicídio

Tribunal de Justiça acompanhou o entendimento do MPSC e considerou a decisão do Tribunal do Júri soberana, reafirmando, no pedido de habeas corpus, o imediato cumprimento da pena em crimes contra a vida.

Xaxim - Foi negada a liberdade a um idoso condenado a nove anos de prisão pelo Tribunal do Júri da Comarca de Xaxim pela tentativa de homicídio de policiais que atenderam à ocorrência de ameaça à esposa do réu. Ao negar o habeas corpus, o Poder Judiciário reconheceu a possibilidade de cumprimento imediato da pena aplicada após condenação proferida pelo Tribunal do Júri, tese sustentada pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), mesmo no caso de ter o réu respondido ao processo em liberdade.

De acordo com o Promotor de Justiça Diego Roberto Barbiero, a tese nasceu de um voto do Ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF) e foi adotada pelo MPSC nos julgamentos plenários. No voto, o Ministro destacou que ''a prisão após a condenação pelo Júri à pena de reclusão em regime fechado não é preventiva. Trata-se, na verdade, de execução da pena privativa de liberdade imposta pelo órgão competente para o julgamento dos crimes contra a vida, cujos vereditos gozam de soberania, por expressa disposição constitucional''.

Em novembro, o acusado foi julgado pelo Tribunal do Júri da Comarca de Xaxim e, conforme a denúncia apresentada pelo MPSC, condenado pelos crimes de homicídio qualificado tentado, resistência, posse de acessório de uso restrito e ameaça, este último agravado por ter sido praticado contra cônjuge, contra mulher e contra pessoa idosa - a esposa tinha 62 anos.

Embora o réu estivesse respondendo ao processo em liberdade, no julgamento o Promotor de Justiça postulou a aplicação do recente entendimento do Supremo Tribunal Federal que autorizou a prisão após sentença do Tribunal do Júri, com o início imediato da Execução provisória da pena, pedido que foi acatado pela Magistrada de primeiro grau, Vanessa Bonetti Haupenthal, e agora confirmado pelo Desembargador Luiz Cesar Schweitzer do Tribunal de Justiça de Santa Catarina. (HC 4033971-35.2018.8.24.0000)


Os crimes

Na denúncia que levou à condenação do réu, o Promotor de Justiça Diego Roberto Barbiero relatou que F.J.F, na noite de 15 de janeiro de 2018, após discutir com a esposa, G.M.Fi, intimidou a vítima com o dizer "vamos resolver isso agora" e dirigiu-se a um cômodo da casa onde ela sabia haver uma arma. Diante da ameaça, a esposa fugiu para a residência do vizinho e chamou a Polícia Militar.

Ao atender à ocorrência, após os inícios dos diálogos para que F. saísse da casa e se apresentasse, o réu impediu a entrada dos policiais na residência. Com mais alguns minutos de tentativa de diálogo, F. abriu parcialmente a porta e desferiu pelo menos três tiros em direção aos policiais - sem que causasse ferimentos por motivos alheios à sua vontade, mas assumindo o risco de matar os agentes públicos.

Somente depois de cinco horas de negociações envolvendo a PM de Xaxim, o PPT de Xanxerê e de Chapecó e já com o início do deslocamento, por terra, do BOPE da Capital, o réu finalmente se entregou à polícia. Na ocasião, foi apreendida a arma de fogo utilizada no crime - um revólver calibre 32, 3 cápsulas de projéteis deflagrados e duas lunetas de mira telescópicas, uma delas classificadas como de uso restrito das forças armadas. (Ação n. 0000022-39.2018.8.24.0081)

Veja também

Poder Judiciário de Chapecó está entre os mais produtivos de 201809/01 Foram 135.531 novas demandas e, no mesmo período, 141.889 processos foram julgados, restando 100.304 causas pendentes hábeis a serem decididas. A produtividade dos magistrados elevou-se 11% em comparação com 2017....
Três lojas em Xaxim foram arrombadas e furtadas na madrugada04/07 Informações preeliminares dão conta de que três estabelecimentos comerciais foram arrombados, em princípio pela mesma pessoa. Segundo informações preeliminares os arrombamentos se deram em lojas do centro e......

Voltar para Polícia