Entrevista com Lucas Esmeraldino, pré-candidato ao Senado de SC com o apoio de Jair Bolsonaro

Entrevista com Lucas Esmeraldino, pré-candidato ao Senado de SC com o apoio de Jair Bolsonaro

Pré-candidato ao senado de SC apoiado por Jair Bolsonaro, Lucas Esmeraldino concedeu entrevista aos jornais Diário Data X e Folha Regional

Por Portal DX 30/05/2018 - 14:43 hs
Foto: Raphael Spiller

Xaxim – O nome de Lucas Esmeraldino pode soar completamente desconhecido à população do Oeste Catarinense, porém, o nome do jovem político eleito por duas vezes vereador em Tubarão, no Sul do estado, vem crescendo a cada dia que passa. 

Com 35 anos, Esmeraldino tem um jeito simples e boa oratória. Ligado à igreja evangélica, defensor da família, da moral e dos bons costumes, o jovem político – e dentista por formação - decidiu se desfiliar do PSDB afirmando não ter ‘chance de crescer’ no partido, e optou por um partido de Direita, ideologia que mais se identificava, e recebeu o apoio de ninguém mais, ninguém menos do que o presidenciável que lidera as intenções de voto em Santa Catarina.

Como começou sua carreira política?
Desde pequeno sempre participei de ações sociais. Sou evangélico e sempre estive envolvido nas ações da igreja, e levei isso por toda a vida, inclusive na faculdade e vida profissional. Em meu consultório odontológico no Bairro Morrotes, em Tubarão, fiz parcerias e projetos sociais para atender pessoas de baixa renda. Com o passar do tempo, o trabalho realizado em prol do povo fez com que as pessoas começassem a pedir ‘Lucas, por que você não se candidata a vereador?’. Meus amigos me incentivaram e acabei escolhendo o PSDB, por ter amigos filiados, não tanto por ideologia.

Como foi sua primeira campanha eleitoral?
Pessoas comuns que viram em mim o potencial para contribuir na política. Me candidatei, e fui o vereador mais votado da história da cidade de Tubarão em 2012, numa eleição que tinha 217 candidatos e fui eleito com 2.346 votos. Em 2016 novamente fui eleito, e novamente fui o mais votado da coligação com 1958 votos.

Como você avalia seus mandatos no legislativo?
Fui proponente de vários projetos, porém o que eu mais ressalto foi a retirada da ideologia de gênero das escolas, projeto que veio em regime de urgência, com muitas páginas, e que passaria despercebido pelos vereadores.

Por que escolher o PSL, partido de Bolsonaro?
Estou há seis anos na política e as minhas bandeiras sempre foram família. Pedi muito firme quando a ideologia de gênero quis entrar nas escolas. Escola sem partido, não legalização do aborto. Todas essas questões me levaram até o Jair Bolsonaro. O grupo Bolsonaro em Santa Catarina optou por me indicar para tocar a frente esse projeto.

Como ocorreu a decisão de ser pré-candidato ao Senado Federal?
A pré-candidatura como estão citando é um pedido do próprio Bolsonaro. Hoje estamos focados em arrumar o PSL em Santa Catarina. Então as questões de pré-candidatura vão ficar depois do dia sete. O foco agora, nesta primeira largada, é de organização para receber as pessoas interessadas em ser candidatas a deputados federais e estaduais.

Como você vê seus concorrentes ao Senado?
Não sei quem eu poderia enfrentar numas eleições, até porque não sei quem estará solto no período eleitoral e apto a se candidatar. É engraçado, porém lamentável.

Com quais partidos o PSL cogita coligação?
Muito difícil dizer com quem cogitamos coligar. Porém não há chance nenhuma de estar junto de PCdoB, PT, PSOL, PMDB e PSDB em Santa Catarina. Com estes partidos não há nem diálogo.

O que você espera do pleito eleitoral de 2018?
Creio que será uma eleição diferente. A população está cansada de tudo, e anseia por mudança. Porém, ano após ano segue elegendo as mesmas pessoas para cargos diferentes. Se a população quer mudança, tem que mudar o voto.