Deputado critica contratos para a guarda de veículos apreendidos

Deputado critica contratos para a guarda de veículos apreendidos

Por Portal DX 02/03/2018 - 16:57 hs
Foto: FOTO: Eduardo G. de Oliveira/Agência AL

O deputado Roberto Salum (PRB) foi à tribuna da Assembleia Legislativa na sessão plenária da manhã desta quinta-feira (1º) para anunciar que promoverá uma investigação nos contratos firmados entre as administrações de municípios da Grande Florianópolis e empresas proprietárias de guinchos e pátios para onde são levados automóveis apreendidos.

A motivação para o ato, disse, são as inúmeras denúncias recebidas de motoristas da região. “A Polícia Militar está sendo lacaia de um empresário de Palhoça, que fica cobrando taxas e mais taxas de estacionamento. Qualquer coisa agora é motivo para apreender um carro e os guinchos estão ficando milionários. Virou uma bagunça.”

Para o  parlamentar, cabe ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran) disponibilizar a estrutura necessária para o procedimento das apreensões, que somente podem acontecer mediante determinação expressa do órgão. “Ou o Estado não tem competência, ou tem muita gente ganhando com isso. Está demorando muito para a Polícia Federal fazer uma investigação, mas acho que vou ser mais rápido”, ressaltou.

Em aparte, Maurício Eskudlark (PR) afirmou que a contratação dos serviços pelas prefeituras realmente cobre uma deficiência na atuação do poder público estadual, mas que considera os modelos de contrato válidos. “Como o Estado não tem como fazer a guarda dos veículos, cada município faz a licitação dos pátios. Feita licitação, a empresa selecionada se habilita a ter uma área e cobra taxas pela remoção do automóvel e uma diária pela sua guarda.” Eskudlark, entretanto, afirmou ser favorável a investigação das denúncias recebidas por Salum.

Troca de partido
Em outro ponto do seu pronunciamento, Salum discorreu sobre sua carreira política, afirmando que foi a busca por mais espaço na vida pública que o levou a ingressar e a deixar o PP e o PSD.

Ele afirmou também que, pelo mesmo motivo, agora se prepara para deixar o PRB, seu atual partido, e se filiar ao MDB, agremiação pela qual disse nutrir um sentimento de gratidão.  "Hoje estou praticamente sem partido, mas temos que ter uma lealdade aos partidos aos quais servimos. Pinho Moreira [governador em exercício] está segurando quatro secretários de Estado para me manter aqui [como deputado]”, explicou.