Chape chega a sete empréstimos e dá visibilidade de olho em retorno financeiro

Por Portal DX 02/03/2018 - 16:44 hs
Foto: FOTO SIRLI FREITAS CHAPECOENSE

 

Chapecó - Antes habituada a apenas contratar, a Chapecoense aos poucos muda seu estilo de fazer futebol. Nesta temporada, o Verdão do Oeste optou por rodar atletas que estão sem espaço no clube e com as saídas de Roberto e Lucas Mineiro chegou a sete jogadores emprestados. O modelo de negócio é válido tanto para nomes promovidos da base quanto para peças que chegaram ao time e não renderam o esperado.

A intenção é que os jogadores possam destacar-se nas equipes e, caso não sejam aproveitados novamente na Chapecoense, atraiam atenção de outros times para levá-los em definitivo. É a famosa vitrine no futebol. “Por que emprestar Lucas pra Ponte? É muito mais fácil vender o Lucas ele fazendo bons jogos na Ponte do que só treinado na Chape. É a tentativa de trazer ativos da base dando oportunidade para os atletas jogarem. Atlético-GO, onde está o Julio Cesar, é um clube formador. Ponte Preta é uma grande vitrine. Londrina é um clube empresa. Não é à toa”afirmou o executivo Rui Costa.

 

Atletas emprestados pela Chapecoense:

Júlio César - Atlético-GO

Bryan - Náutico

Vinicius Guarapuava - Guarani-RS

Wesley Natã - Atlético-GO

Rodrigo Alves - Tubarão

Lucas Mineiro - Ponte Preta

Roberto - Londrina

A Chapecoense tem investido na própria categoria de base, captando atletas que cheguem ainda na etapa de formação e depois possam ser incorporados no time principal. Com o aumento de jogadores com potencial de profissional, os empréstimos surgem como grande modelo de negócio. “Trouxemos vários jogadores da base, como nunca antes na história da Chape. Trabalho muito com esse projeto de integração. Importante para ver quem evoluiu e quem não tem espaço tem que jogar. Vamos ficar com jogadores da base. Quem sabe tenha mais um processo de realocação dos jogadores da base. Não adianta ficar só treinando. A etapa final é jogar no time principal, como Bruno Silva, como Lucas Mineiro ano passado. Pode acontecer de outros jogadores serem emprestados, porque tem lastro e abrir espaço para outros atletas da base para subir”completou. (Globoesporte)