Postado em 15 de Fevereiro às 17h18

“Vou pra lá, mas, com um pé em Xanxerê”

Capitão Alan, que há seis anos trabalha no Corpo de Bombeiros em Xanxerê, comandará Escola de Oficiais em Florianópolis.

Por Cristiane Aline

Xanxerê – Na semana que completou treze anos como Bombeiro Militar, capitão Alan Delei Cielusinsky, patente recebia em solenidade no último dia 31, inicia um novo desafio, comandar a escola de oficiais do Centro de Ensino do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina em Florianópolis.

Alan é natural de Porto União e ingressou na carreira militar em 2006. Realizou a formação de soldado em Florianópolis, depois atuou em Chapecó. Em 2007 participou de cursos em Xanxerê, quando o Centro de Referência de Desastres Urbanos (CDRU) ainda estava em seu início, ganhou seu primeiro filhote, o cão Tchak que hoje está aposentado. Em 2010 após ser aprovado no concurso para Oficial, mudou-se para Florianópolis, retornando ao Oeste dois anos depois. Em 2013 inicia seu trabalho diretamente no 14° Batalhão de Bombeiros Militar de Santa Catarina, em Xanxerê.

“Fui para o curso de oficial já informando ao coronel Parizotto que queria trabalhar com cães e gostaria de trabalhar em Xanxerê, pois tinha um apreço grande pelo lado operacional, de cursos e ensino que o Batalhão aqui tem”, comenta. 

Foi na região do 14º Batalhão que Alan certificou seu cão, se aperfeiçoou na área de ensino e teve oportunidade de participar de diversas missões.

“Foram muitos desafios. Estive à frente da 1ª Companhia, depois a 3ª Companhia em Xaxim, após fui a Minas Gerais em 2015 quando teve o rompimento da Barragem de Mariana. Servi a Força Nacional durante os Jogos Olímpicos através de oportunidade cedida pelo coronel Parizotto e em 2014 participei na Alemanha de um evento internacional de resgate veicular, o Rescue Days. Então foram muitos aprendizados em várias frentes”, pontua.

Diante do trabalho realizado no CRDU e área de ensino, com a formação de soldados, Alan foi convidado para comandar a academia no Centro de Ensino em Florianópolis, onde se formam os oficiais. O convite, segundo ele foi aceito com muito prestigio, mas com intenção de realizar um bom trabalho e retornar ao Oeste, onde trabalhou praticamente durante toda carreira.

“Vou pra lá, com um pé em Xanxerê. Pois gosto muito da região, do batalhão. Foi aqui que construí casa, família e pretendo voltar. Estarei ainda ligado à área de ensino então pretendo vir pra cá para auxiliar nos cursos e instruções. Sinto-me privilegiado por ter sido convidado para comandar a academia lá e vou com muito ímpeto para fazer um bom trabalho na formação dos oficiais”, finaliza Alan.

Veja também

Voltar para Geral