Postado em 31 de Janeiro às 16h52

Tomates 'cozinham' no pé em lavoura por forte calor e chuva no Oeste

Produtor rural estima que perdeu 50% da produção pelas condições climáticas

Tomates "cozinharam" no pé em uma plantação em Chapecó. Com as altas temperaturas e as chuvas, o alimento murchou antes mesmo de ser colhido.

O dono da propriedade é Adelir da Silva. Ele estima que 50% da safra foi perdida em janeiro. O forte calor, além de prejudicar a formação dos produtos, provoca também temporais, que retardam o plantio. "Ficamos em torno de 35, 38 dias sem conseguir plantar. Então a semana que vem, acredito eu, os preços vão aumentar, principalmente dos verdes, né?", disse o produtor.

A colheita do tomate deveria se estender por mais 30 dias. O pimentão e berinjela também apodreceram no local. Este verão tem sido um dos piores dos últimos anos para a agricultura na região Oeste do Estado. "Em 2011, deu uma perda muito grande, acho que foi La Niña. Mas igual a esta, fazia tempo que não acontecia com os produtores", conta Adelir.

Apenas em Chapecó, são 230 produtores de verduras, que movimentam R$ 7 milhões por mês. O prejuízo total no município ainda é contabilizado.

"Não tenho dúvida nenhuma que no final do ano nós vamos ter o nosso movimento econômico. Nós vamos sentir este problema que estamos passando no momento", disse o secretário-agricultura Chapecó, Valdir Crestani.

*G1.com

Veja também

Voltar para Geral