Postado em 05 de Dezembro às 13h44

Menino de 10 anos sonha com a carreira Militar e propõe projeto “Bombeiro Mirim”

“Quando vejo um acidente fico preocupado, mas não tanto, porque sei que tem os bombeiros para salvar essas pessoas”, diz Paulo.

POR: CRISTIANE ALINE


Xanxerê –
Paulo Henrique Romani Tovo tem apenas dez anos, mora no Bairro Vista Alegre, e é bem decidido sobre o que quer fazer na vida adulta, ser Bombeiro Militar. Paulo passou uma tarde diferente e cheia de emoção na última semana, quando realizou um tour pelo 14° Batalhão de Bombeiros Militar em Xanxerê, guiado pelo Soldado Aluno William Felipe de Lima Silva que explicou a funcionalidade de cada item que compõe as viaturas do Batalhão.
Paulo atento, não perdia um momento, mas deixava transparecer aquele sorriso que não conseguia conter. Conheceu equipamentos, testou alguns, subiu no caminhão e por fim deu uma volta nos arredores do Batalhão com direito a sirene ligada.


O gosto pela profissão segundo os pais Luciane Pedron Romani e Marcos Vinicius Tovo vem de alguns anos, todos os brinquedos que pede é referenciado os Bombeiros. Como escoteiro aos sete anos participou de uma palestra de primeiros socorros e a partir dela o interesse se ampliou.


“Não sei quando começou essa ligação dele com o Corpo de Bombeiros, mas desde pequeno queria helicóptero, carrinho, tudo de Bombeiro. É fissurado, sabe os termos dos itens dos caminhões, assiste vídeos, pesquisa sobre o assunto, toda cidade que visita, ele quer conhecer o Corpo de Bombeiros, filma as viaturas na rua. E diz que vai ser bombeiro quando crescer. Não sei como isso despertou nele, pois não tem ninguém na família com ligação militar”.

Perguntado se o cabelo curtinho, também é referência à profissão ele sorri e diz que “em partes” e explica porque tem tanta admiração pelo trabalho de quem considera como heróis.


“Tenho o interesse porque quando vejo um acidente fico preocupado, mas não tanto, porque sei que tem os bombeiros para salvar essas pessoas, por mais que algumas morram, eles fazem de tudo pra salvar elas. Vejo vídeos de bombeiros, estudo, brinco de bombeiro”, conta.


Paulo vai mais além, tem um projeto para englobar crianças que compartilham de seu sonho.


“Um dia brincando, pensei, porque não tem Bombeiros Mirins em Xanxerê? Sabendo que pode ter um monte de crianças que também querem ser bombeiros e algumas nem podem ter a experiência de vir até o quartel. Pelo projeto eles poderiam entender um pouco o que é ser Bombeiro. Só por vir aqui, entrar no quartel já fico feliz, pois dá pra perceber o que eles passam todos os dias”, conta.


Para William que pela primeira vez guiou uma visita assim, a experiência tanto profissional quanto pessoal é algo compensador e mostra o reconhecimento do trabalho.


“É uma experiência única. Sempre se ouve e tem o mito de que o bombeiro é um super-herói, principalmente entre as crianças, mas somos humanos também. Ver este reconhecimento é sensacional. Comecei a trabalhar aqui recentemente e cada dia mais estou vendo o reconhecimento que a população tem sobre o que a gente faz”.


William que é do Pará, comenta que já morou em outros lugares de Santa Catarina, mas que Xanxerê o reconhecimento que recebem é muito maior.


“Nunca vi um reconhecimento tão grande da parte da população em relação aos militares, tanto PM quanto Bombeiros. Aqui em Xanxerê está sendo um gosto especial participar disso. Para o ano que vem nosso projeto é ter um envolvimento maior com a população, abrir as portas realmente daqui para que as pessoas saibam o que a gente faz de verdade”.


FOTOS: CRISTINE ALINE

Veja também

Voltar para Geral