Postado em 25 de Setembro às 19h42

HRSP volta a se pronunciar sobre Operação Arritmia da Polícia Federal

PORTAL DX - O melhor da informação da Região Oeste de Santa Catarina FOTO DIVULGAÇÃO Em duas notas oficiais, o Hospital Regional São Paulo (HRSP), de Xanxerê/SC se pronunciou referente a Operação...

FOTO DIVULGAÇÃO

Em duas notas oficiais, o Hospital Regional São Paulo (HRSP), de Xanxerê/SC se pronunciou referente a Operação da Polícia Federal denominada Arritmia que investiga um suposto grupo criminoso organizado que teria fraudado verbas do SUS (Sistema Único de Saúde) destinadas à aquisição de próteses cardíacas.

Na primeira nota o HRSP afirma que “o diretor clínico da instituição não é objeto de investigação por parte da Polícia Federal” e que o mesmo “não sofreu qualquer sanção cautelar, como o bloqueio de bens, e segue com as suas funções na instituição”.

Na nota ainda o HRSP comunica que “apesar do afastamento temporário do médico da função de responsável técnico pelo Serviço de Cirurgia Cardiovascular.... os serviços médicos continuam sendo prestados pelo profissional, garantindo o atendimento de todos os pacientes que se encontram na instituição ou que possuem procedimentos agendados”.


Em uma segunda nota o Departamento de Cardiologia Clínica do Hospital Regional São Paulo informa que “nenhum médico membro desse departamento é alvo da investigação da operação Arritmia, da Polícia Federal”. A nota deve se ao fato de esclarecer de que há dois departamentos diferentes dentro da entidade: Cardiologia Clínica e Cardiologia Cirúrgica.


Confira as notas em sua íntegra:


Nota de Esclarecimento (1)

A diretora geral do Hospital Regional São Paulo (HRSP), de Xanxerê/SC, vem a público esclarecer informações inverídicas veiculas nesta quarta-feira (25), após a operação Arritmia. É indispensável a compreensão de todos que o diretor clínico da instituição não é objeto de investigação por parte da Polícia Federal, e qualquer informação contrária a essa representa uma inverdade. Da mesma forma, cabe esclarecer que o diretor administrativo do hospital não sofreu qualquer sanção cautelar, como o bloqueio de bens, e segue com as suas funções na instituição.

Em cumprimento a decisão judicial da 1ª Vara Federal de Chapecó, a diretora geral do Hospital Regional São Paulo determinou o afastamento temporário do médico da função de responsável técnico pelo Serviço de Cirurgia Cardiovascular. Entretanto, cabe frisar à população que os serviços médicos continuam sendo prestados pelo profissional, garantindo o atendimento de todos os pacientes que se encontram na instituição ou que possuem procedimentos agendados.


A direção reforça ainda que segue colaborando com a investigação, com o intuito de que sejam apurados os fatos da denúncia o mais breve possível.

Nota de esclarecimento (2)
O Departamento de Cardiologia Clínica do Hospital Regional São Paulo vem a público esclarecer que nenhum médico membro desse departamento é alvo da investigação da operação Arritmia, da Polícia Federal. Reiteramos que o Serviço de Cardiologia Clínica mantém o atendimento normalmente, sem prejuízo à população.

Veja também

Voltar para Geral