Postado em 10 de Janeiro às 14h35

Hospital Regional São Paulo: R$ 50 milhões investidos nos Serviços de Cardiologia

Diretor administrativo Fábio Lunkes fala dos investimentos e os planos para o futuro da instituição.

Xanxerê - Referência no Serviço de Alta Complexidade em Cardiologia desde 2004, o Hospital Regional São Paulo (HRSP), atende uma população de aproximadamente 1,3 milhão de pessoas em todo o grande Oeste Catarinense. Somente em 2018, o hospital realizou quase 19 mil atendimentos na especialidade. Localizado em Xanxerê, Santa Catarina, o HRSP dispõe de uma equipe qualificada, com cerca de 600 profissionais, modernos equipamentos para o atendimento de casos de Urgência e Emergência em problemas cardíacos, além de uma ampla estrutura ambulatorial para os casos eletivos.


Nesta entrevista, o diretor administrativo da unidade hospitalar, Fábio Lunkes, destaca a importância da estrutura para o sistema de saúde catarinense, além dos investimentos para dar ainda mais qualidade aos serviços prestados pelo HRSP.

Sabemos que o Hospital Regional São Paulo ocupa uma posição importante para o Sistema de Saúde de Santa Catarina. Quais são as principais referências da instituição?


Fábio Lunkes: O Hospital Regional São Paulo é um hospital estratégico para o Sistema de Saúde do Estado, uma vez que atende no Serviço de Urgência e Emergência uma população de 200 mil habitantes, que compreende toda a região da Associação dos Municípios do Alto Irani (Amai) e municípios vizinhos. Também é referência na Rede Cegonha, no atendimento de gestantes de alto risco e recém-nascidos, possuindo uma UTI Neonatal moderna, com dez leitos, que oferta os leitos para todo o Estado quando é necessário. Além disso, nossa principal referência é para Serviços de Alta Complexidade em Cardiologia, que desde 2004 somos credenciados. Ao longo destes 14 anos viemos investindo muito em estrutura e na modernização dos equipamentos, para sempre ofertar um atendimento ágil, com qualidade e com segurança para os nossos pacientes.


Traçando uma linha do tempo da evolução do Serviço de Cardiologia, quais são as principais conquistas ao longo destes 14 anos?


FL: Nós começamos primeiramente atendendo uma região entre concórdia e a fronteira com a Argentina, no extremo Oeste. Em seguida, ao longo dos anos, agregamos as regionais de Joaçaba, Videira e Caçador. O serviço hoje atende uma região de aproximadamente 1,3 milhão de pessoas em toda o grande Oeste Catarinense. Em todo esse período foram investidos em torno de R$ 50 milhões, em estrutura física e modernização do parque tecnológico do Hospital, justamente para dar mais segurança e agilidade, mantendo a qualidade dos serviços prestados à população. Esses recursos foram oriundos quase na sua totalidade de convênios com o Governo do Estado de Santa Catarina e Governo Federal, por meio de emendas de parlamentares aqui da região.


Quem passa pelo HRSP percebe uma grande estrutura em construção, que é o Bloco II? Esse novo prédio contempla também o Serviço de Cardiologia?


FL: Contempla, especialmente nesta primeira etapa, que estamos em fase de finalização. Com a inauguração de dois pavimentos, vai compreender serviços exclusivos de cardiologia, como é o caso da UTI Coronariana, com dez novos leitos, sendo a única UTI Coronariana da região Oeste, e representando dez leitos a mais no sistema do Estado, para dar atendimento rápido para os pacientes infartados e com problemas cardiológicos que precisam de um leito de UTI suporte para o atendimento e tratamento das doenças cardiovasculares. O novo bloco vai comportar ainda a nova estrutura de Hemodinâmica, sendo uma das máquinas mais modernas do Estado, já que há apenas uma do mesmo porte instalada no Instituto de Cardiologia, em Florianópolis. O equipamento vai dar suporte nos casos de tratamentos cardiovasculares. Além disso, o novo prédio contempla a ampliação do Serviço de Diagnóstico por Imagem, com uma Ressonância, uma nova Tomografia de 128 canais, que vai auxiliar no diagnóstico de problemas cardiovasculares, equipamento que poucos hospitais catarinenses possuem. Em seguida, com a sequência da obra no Bloco II haverá também a ampliação do Centro Cirúrgico, Central de Esterilização de Materiais, uma nova Unidade de Internação com 28 leitos e o Heliponto.


Uma das novidades de 2018 foi a implantação da Residência Médica em Cardiologia? O HRSP tem planos para a área do ensino?


FL: Sim, um dos avanços conquistados pelo Hospital Regional São Paulo em 2018 foi a implantação da Residência Médica em Cardiologia, sendo a única na região Oeste. Para 2019 mais duas vagas foram abertas e o planejamento da instituição é intensificar cada vez mais a educação e formação de profissionais especializados em cardiologia. Há ainda um projeto, em parceria com a Unochapecó e a Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), para transformar o HRSP em um Hospital Ensino (HE), visando trazer mais procedimentos para a região. Tornando-nos um HE, abrem-se portas nos Governos para trazer novas habilitações para o hospital.

Entenda como funciona o atendimento em Cardiologia do HRSP


No HRSP os pacientes encontram uma equipe especializada para o atendimento de Urgências e Emergências de Cardiologia. Conforme o diretor técnico, Mário Augusto Marques, em casos de uma emergência, que o paciente chega ao hospital conduzido pelo Serviço Aéreo por exemplo, ele é imediatamente encaminhado à Hemodinâmica para o cateterismo e, se necessário, a angioplastia para desobstruções das artérias coronárias e implante de uma prótese endovascular “stent”, conhecido popularmente como “molinha”. Em alguns casos é feito o cateterismo e o tratamento segue apenas com medicação, no entanto em outros o tratamento é a cirurgia, então o paciente permanece internado até o procedimento.


“Dependendo do caso, quando a porta de entrada é a Emergência do HRSP, o paciente é atendido pelo médico plantonista e são feitos exames. Imediatamente é acionado o cardiologista de sobreaviso, ou o cirurgião cardíaco ou, ainda o hemodinamicista. O Hospital Regional São Paulo dispõe de uma equipe completa para o atendimento de casos de Urgência e Emergência na área de cardiologia, com as três especialidades de sobreaviso, à disposição 24 horas por dia, sem interrupção do serviço nos 365 dias do ano. Sem esquecer é claro da equipe da UTI, com médico intensivista, para dar suporte ao atendimento”, explica.


Em casos eletivos, ou seja, que não são emergência, o HRSP dispões de toda uma estrutura ambulatorial, onde o paciente é agendado no município de origem, por meio do Sistema Nacional de Regulação (SISREG), e pode realizar consultas com especialistas em cardiologia, arritmologia, cirurgia cardíaca, cirurgia vascular, além de exames e procedimentos como ecocardiograma, teste de esteira, holter e demais exames necessários para o acompanhamento do paciente.


Cerca de 97% dos atendimentos prestados pelo HRSP são via SUS. Os números também demonstram a importância do serviço prestado pelo Hospital Regional São Paulo para pacientes de toda a região Oeste Catarinense. Somente em 2018 foram mais de 10 mil atendimentos ambulatoriais, mais de mil cirurgias cardiovasculares e mais de 7,3 mil outros procedimentos. 

Veja também

Grupo de Amigos e Imprensa de Xanxerê promovem ação em prol do jornalista Gilmar Santini (Paulista)19/12/18 Xanxerê - O jornalista e radialista Gilmar Santini, mais conhecido como Paulista, que atualmente trabalha na Rádio Super Difusora, e esteve a frente do Jornal do Meio Dia da Ric Record Xanxerê, passou por uma cirurgia de urgência no Hospital Regional do Oeste em Chapecó, no dia 14 de novembro, para a retirada de um tumor no intestino. Em razão dos gastos médicos e......
I Love Brechó acontece neste fim de semana15/03 Roupas serão vendidas a partir de R$ 2,00. Lucro será revertido para auxiliar  no atendimento de animais carentes...

Voltar para Geral