Postado em 24 de Maio às 08h34

Em Chapecó, vereadores da oposição pedem explicações para gastos com publicidade

Portal DX - O melhor da informação da Região Oeste de Santa Catarina A Câmara de Vereadores de Chapecó discutiu na sessão dessa quarta-feira (22) um requerimento da vereadora Marcilei Vignatti (PT) que pede à...

A Câmara de Vereadores de Chapecó discutiu na sessão dessa quarta-feira (22) um requerimento da vereadora Marcilei Vignatti (PT) que pede à administração municipal explicações sobre os contratos para prestação de serviços de publicidade e propaganda 127/2019 e 128/2019, que juntos somam R$ 6 milhões. Como não houve tempo suficiente para votar a proposição, ela voltará para a pauta nesta quinta-feira (23).

“Nós temos dois contratos de publicidade exatamente com o mesmo objeto, o mesmo valor, o mesmo período estipulado para execução, firmados no mesmo dia”, observou Marcilei. Ela também chamou a atenção para os valores altos. “O valor desses contratos é de R$ 3 milhões cada um, isso significa R$ 500 mil por mês em gastos com publicidade e propaganda num período de 12 meses, começando agora”.

Ao mesmo tempo em que prevê toda essa verba para publicidade, o vereador Cleiton Fossá (MDB) ressaltou que o Executivo tem vários projetos de lei tramitando na Câmara sob a justificativa de crise econômica. Ele citou como exemplo alguns orçamentos para campanhas publicitárias. “O valor destinado para campanhas tributárias é de R$ 500 mil. Para a campanha de resíduos sólidos do Programa Lixo Zero, o valor sugerido pela prefeitura, por 30 dias, é de R$ 500 mil. Para campanhas de feiras livres, eventos, promoções, cultura e desenvolvimento, R$ 1 milhão (de orçamento)”.

Neuri Mantelli (sem partido) destacou a importância da transparência e lançou questionamento sobre o que poderia ser feito no município com essa verba, considerando que há outras demandas. “Estamos tentando mostrar à população porque hoje estão faltando tantas coisas no posto de saúde, porque estão faltando tantas coisas em nosso município, iluminação pública, asfalto, medicamentos, médicos, exames”.

Já o vereador Diego Alves (PP) afirmou que não há dificuldade por parte da bancada de situação em prestar as informações solicitadas. Ele também citou que os contratos estão no portal da transparência.

O líder do governo, João Marques Rosa (PSB), não se manifestou na tribuna, mas orientou o voto dos vereadores da situação. Ele disse que a base do governo estava propensa a votar o requerimento sem discussão, mas que a Marcilei não aceitou.

Veja também

Voltar para Geral