Postado em 28 de Novembro de 2018 às 14h26

Controle de roedores em propriedades é essencial para saúde humana e da produção

Por: Cristiane Aline

Xanxerê - A presença de ratos no meio rural é bastante comum tanto em residências quanto nas instalações rurais como silos de grãos ou espigas, aviários, chiqueiros, silagem.


Na região, o médico veterinário da Cidasc Xanxerê Geraldo Scariot comenta que já precisaram trabalhar com grandes infestações, inclusive no interior de Xanxerê, em que devido ao descuido com o controle que deve ser permanente, o número de roedores aumentou consideravelmente, precisando da intervenção do órgão.


Uma população elevada dos animais podem causar transtornos às instalações e ainda problemas com doenças graves tanto para animais quanto humanos. Entre as mais conhecidas estão a leptospirose, que é transmitida através da urina do rato. Entre as espécies, os ratos de telhado (pretos) e as ratazanas (acinzentadas) são os que mais causam estragos no ambiente rural, já o camundongo costuma invadir residências rurais e urbanas.


O cuidado com a limpeza dos arredores das propriedades é essencial para bom controle dos roedores, que costumam se esconderem em entulhos, tocas no solo e nas matas, por isso propriedades próximas à mata são mais suscetíveis a infestações. Os animais se procriam rapidamente, uma fêmea pode gerar até 200 filhotes em um ano, cada roedor consome cerca de 50gramas de alimento por dia, ocasionando em grandes perdas de produção.


Para controle, a Cidasc recomenda a utilização de venenos registrados pelo Ministério da Agricultura e instalação de armadilhas, que devem ser vistoriadas com frequência e registradas em planilha para monitoramento. Instalação de telas de malha fina e não deixar as portas abertas também auxilia no controle e entrada de roedores, preservando as propriedades.

Veja também

Mauro De Nadal faz apelo para viabilizar projeto de recolhimento de animais mortos nas propriedades09/05 Vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado Mauro De Nadal fez um apelo ao Ministério da Agricultura para que faça a regulamentação do projeto-piloto de descarte de animais mortos nas propriedades rurais. O projeto já funciona em Santa Catarina, mas por falta da regulamentação federal impede que a empresa que faz o recolhimento dos animais nas propriedades......

Voltar para Geral