Postado em 04 de Outubro às 10h13

Amanda Cadore lança seu primeiro disco autoral

PORTAL DX - O melhor da informação da Região Oeste de Santa Catarina “Inverno só se for azul” é o nome do primeiro disco da artista Amanda Cadore, de 23 anos. Vinda de Barão de Cotegipe no Rio Grande do Sul,...

“Inverno só se for azul” é o nome do primeiro disco da artista Amanda Cadore, de 23 anos. Vinda de Barão de Cotegipe no Rio Grande do Sul, desde 2014 escolheu Chapecó para ser a sua casa e iniciar a sua extensa pesquisa na música autoral. O projeto foi contemplado pelo Edital de Fomento e Circulação das Linguagens Artísticas da Prefeitura de Chapecó, por meio da Secretaria de Cultura, tem o patrocínio da Unochapecó e contou com financiamento coletivo. O primeiro show de lançamento acontece nesta sexta-feira, 4 de outubro, no Sesc Chapecó, Rua Brasília, Bairro Jardim Itália, às 19h com entrada gratuita.

De acordo com Amanda este projeto é extremamente coletivo. “Este disco foi feito à muitas mãos, desde a parte criativa das composições, a produção pra que esse trabalho ficasse pronto e principalmente o financiamento, tanto por parte do Edital quanto pelo patrocínio e pela galera que acreditou nessa ideia e participou da vaquinha online”, conta.

O trabalho é composto por um prelúdio e sete músicas: Nômade”, “Terra”, “Devaneio”, “Canção do tempo”, “Passarinho”, “Remédio”, “Abraço e Carnaval” e “Abuelita Piedra”. O disco conta também com a participação dos músicos Edu Figueiró, Murilo Chaise, Isaías Alves, Douglas Müller e Marlinton Almorin, Jakson Kreuz, Jean Lersch, Francisco Faganello e Lauri Mattiello. Ainda participação especial de Marissol Mwaba, grande compositora do cenário musical de Santa Catarina, que Amanda conheceu em 2018 durante participação no programa The Voice Brasil, colaboração do músico Jéf (Jeferson de Souza) em “Canção do Tempo” e da poetisa carioca Alice Souto em “Passarinho”. A produção é de Monique Schardong e Louis Radavelli, mixagem e masterização de Marlinton Almorin e gravação Stúdio Garagem 50.

A diversidade sonora é uma das marcas do trabalho da compositora. Com experiências nos palcos e um trabalho maduro, traz muitos elementos sonoros, com instrumentos orgânicos e elétricos como flauta, violão, baixo e guitarra. “É possível perceber todos os instrumentos impecáveis quando você ouve o disco e um destaque especial para os sopros, que trazem uma identidade para a trabalho e fazem as pessoas sentirem realmente as músicas”, explica a artista.

Como forma de democratizar o acesso a arte à cultura mais dois shows gratuitos estão marcados: 11/10 no Centro de Artes e Esportes Unificados no Bairro Efapi e 13/10 no Projeto Cansei Vou Viver de Arte na Praça, no Centro. “Acho muito importante lançar um disco, mas mais do que isso oportunizar que diferentes públicos tenham acesso a sua arte. Por isso esses shows acontecem em diferentes espaços, localidades distintas e de maneira gratuita”, finaliza Amanda.

Agenda
• 04/10 – Sesc Chapecó – Rua Brasília, Bairro Jardim Itália - 19h – entradas distribuídas a partir das 18h30.
• 11/10 – CEU das Artes- Rua Elói Ferreira, Loteamento Elias Galon, Bairro Efapi - 15h.
• 13/10 – Cansei Vou Viver de Arte na Praça – Praça Coronel Bertaso, Centro – 16h.

Veja também

"Amigas do Bem" prepara 1º Bazar e mostra o trabalho que ajuda o próximo28/11/18 Por: Joimara S.Camilotti Xanxerê : O desejo de uma amiga moveu 15 mulheres que tem como lema cômico ?as mãos e a boca não podem parar?. Há um ano elas se encontram todas as segundas-feiras, das 14h às 17h, para a produção do dia. Assim, surgiu as "Amigas do Bem", que na próxima sexta-feira, apresenta para a comunidade a......

Voltar para Geral