Postado em 20 de Dezembro de 2018 às 15h41

MP diz que direção do Inter na gestão Piffero agia como "organização criminosa"

Vinte mandados de busca e apreensão foram cumpridos na manhã desta quinta-feira em endereços de empresas e residências ligadas a ex-dirigentes do clube

Na manhã desta quinta-feira, o MP cumpriu 20 mandados de busca e apreensão em residências e empresas de Porto Alegre, Eldorado do Sul e Viamão ligadas a ex-dirigentes do clube. Os investigados são o ex-presidente Vitorio Piffero, o ex-vice de Finanças Pedro Affatato, o ex-vice de Administração Alexandre Limeira, o ex-vice de Patrimônio Emídio Marques Ferreira, o ex-vice de futebol Carlos Pellegrini e o ex-vice jurídico.

A investigação apura crimes de apropriação indébita, estelionato, organização criminosa, falsidade documental e lavagem de dinheiro.

– O Inter além de colaborar durante a investigação inteira, o Inter é vítima de todos esses fatos. Estávamos diante de uma organização criminosa. A partir do momento em que o clube tem em todos os braços importantes do clube, o patrimonial, o financeiro, o jurídico e o esportivo, esse tipo de desvio, havia organização criminosa. E a participação do presidente. Não se imagina que cada um dos dirigentes estivesse agindo por conta própria, sem a ciência. Principalmente um presidente que era participante. Participava do futebol, chegou a exercer o cargo na própria gestão. Tinha participação em todas as esferas em que constatamos as fraudes – disse o promotor Flávio Duarte, coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MP.celo Domingues de Freitas e Castro.

(fonte: G1)

Veja também

Voltar para Esporte