Postado em 21 de Dezembro de 2018 às 10h28

Goleiros abraçam filho de Danilo, da Chapecoense, em primeiros passos no futebol

Profissionais da Série A doam luvas, camisas e mandam mensagens para Lorenzo, que, aos 4 anos, transforma saudade em brincadeira como o pai.

Os traços do rosto são idênticos, impressionam. Já os pulos na casa deixam a certeza: a genética foi além da semelhança física entre Danilo e o pequeno Lorenzo.


O filho do goleiro morto no acidente com o avião da Chapecoense, há dois anos, ainda trata tudo de forma muito lúdica. Mas, prestes a completar cinco anos, responde de bate-pronto sobre o que quer ser no futuro: Goleiro, igual ao pai.


Pique para fazer valer a paixão pelo futebol que ficou de herança não falta. Lorenzo é uma criança feliz (e imparável). Com a bola a tiracolo, chuta para lá, pula para cá, e dá vida ao apartamento onde mora com a mãe, Letícia, em Arapongas, no interior do Paraná.


Nos últimos meses, a relação com o esporte ultrapassou as paredes de casa e a quadra da escolinha onde se diverte com amiguinhos. Chegou a Fortaleza. Através de amigos, Rogério Ceni soube da paixão de Lorenzo e enviou um vídeo incentivando-o a lutar pelos seus sonhos.


Danilo era são-paulino de coração e tinha no atual técnico do Fortaleza a maior referência. A mensagem viralizou e o GloboEsporte.com comprou a ideia. Em contato com os 20 clubes da Série A do Brasileirão, sugeriu uma parceria para mensagens de incentivo e presentes para Lorenzo. A adesão foi quase unânime.


De todos os procurados, apenas Vanderlei, do Santos, se recusou a participar da ação sem maiores explicações. Nada que diminuísse o frisson de Lorenzo e a emoção de Letícia ao receber palavras de carinho, luvas e camisas para aumentar a coleção deixada pelo pai.


- Desde pequenininho, apesar do pouco tempo, o Danilo instruiu o Lorenzo a jogar. Só brincavam de bola. Às vezes, ele chegava tarde de viagem, acordava o Lorenzo no bercinho e chamava: "Vamos jogar bola com o papai?". E ficavam jogando - recorda com carinho Letícia.


A mãe, palmeirense, foi convidada para levar Lorenzo ao jogo contra o Vitória, pela última rodada do Brasileirão, quando o Verdão ergueu o troféu de campeão. Presenteado com uma camisa por Dudu, com direito a entrar em campo com os jogadores, o pequeno goleiro se divide entre o São Paulo do pai e o Palmeiras da mãe.

( Fonte: Globo Esporte/G1)
 

Veja também

Chapecoense Futsal tem compromisso decisivo na Liga Catarinense17/05 A Chapecoense Futsal entra em quadra neste sábado (18) em compromisso decisivo pela Liga Catarinense, enfrentando o Pinhalense Futsal. A partida é válida pela sexta rodada da competição. O jogo acontece às 18h, no Ginásio Plínio Arlindo de Nês. Caso vença, o Verdão das Quadras garante o segundo lugar na classificação e a vaga......

Voltar para Esporte