Postado em 15 de Fevereiro às 09h42

Todos os dias, uma empresa é constituída em Xanxerê

Segundo dados da Sala do Empreendedor de Xanxerê, 111 novos MEIs foram abertos nos últimos três meses.

Por: Cristiane Aline

Xanxerê - Segundo dados da Sala do Empreendedor de Xanxerê, 111 novos MEIs foram abertos nos últimos três meses. Sendo 40 em novembro, 16 em dezembro e 55 em janeiro. Entre os segmentos o que se destaca são as áreas de casa e construção e em segundo a prestação de serviços. Até a última semana, Xanxerê contava com 2.637 MEIs formalizados. 

Entre as empresas do Simples Nacional, entre pequenas, médias e grandes empresas, 132 empresas abriam no município no mesmo período. Foram 65 em novembro de 2018, 38 em dezembro e 29 em janeiro deste ano, totalizando 3.308 cadastradas. Entre os segmentos, destacam-se o setor de logística e distribuição de produtos, devido à localização estratégica do município.

Segundo o agente de Desenvolvimento da prefeitura de Xanxerê Wilson Lohmann, comparando com o final de 2017 e início de 2018 os números estão estáveis. “Se percebe no momento o maior interesse em ampliar os próprios negócios”, comenta. 

O proprietário da empresa Mundo das Capas, Rafael R. Pianna é um dos exemplos de investidores que apostaram em Xanxerê para ampliar seu negócio. Rafael tem a marca desde 2016, quando abriu sua primeira loja em Palmas, ao perceber a necessidade de uma loja específica na área de capinhas, películas e acessórios para celulares e tablets. A procura e resultado foram tão bons, que em apenas um mês já estava expandindo. Em dois anos, Rafael já possui cinco lojas em cidades diferentes, nos dois estados do Sul, inclusive Xanxerê, onde instalou a loja em janeiro deste ano.

“A segunda cidade escolhida foi Abelardo Luz/SC, por questão de logística. Em 2017 abrimos em União da Vitória/PR. Em 2018 chegamos à cidade de Guarapuava no Paraná e neste mês de janeiro foi a vez de Xanxerê”, conta.
A escolha pela cidade, segundo Rafael, se deve ao número de habitantes, e bom histórico econômico.

“Além da questão econômica, é uma das cidades que me encantei ao conhecer, povo muito educado e acolhedor. E também verificamos a falta de loja nesse ramo, as poucas que tinham na cidade têm um preço alto e pouca variedade de produtos”, comenta Rafael.

Veja também

Bolsonaro suspende compra e aluguel de imóveis e veículos23/04 O governo suspendeu, a partir de hoje (23), a compra e aluguel de imóveis, veículos, a contratação de fornecimento de jornais e revistas em meio impresso; e de serviço de ascensorista. A decisão foi publicada por meio......

Voltar para Economia