Postado em 30 de Janeiro às 16h11

Sicredi Região da Produção com projeções positivas para 2019

Mesmo em meio às instabilidades do cenário econômico e político, a cooperativa Sicredi Região da Produção RS/SC/MG teve muitos motivos para comemorar. 

Florianópolis - Mesmo em meio às instabilidades do cenário econômico e político, a cooperativa Sicredi Região da Produção RS/SC/MG teve muitos motivos para comemorar. Com 35 anos de história, a Cooperativa se consolida ano após ano e atualmente conta com mais de 56,5 mil associados na região oeste catarinense e noroeste gaúcho.

Focado no progresso e cooperativismo, o Sicredi segue crescendo tendo como prioridade o bem-estar financeiro e da comunidade onde está inserido.

A Sicredi Região da Produção RS/SC/MG reúne 22 pontos de atendimento: 14 no Rio Grande do Sul e 8 em Santa Catarina, atingiu a marca de R$ 1,3 bilhões em recursos administrados, crescendo 26,6% no ano de 2018 O Patrimônio Líquido ficou acima dos R$139,6 milhões. A carteira total de captação cresceu 25,6% com destaque para a poupança que alcançou a marca de R$ 152 milhões. O ano também encerrou com números representativos na carteira de crédito. O montante soma R$ 607 milhões, destaque para o crédito comercial que cresceu 45% em 2018 chegando em R$ 315 milhões.


Com números que representam o crescimento da instituição financeira da cooperativa, o presidente da Sicredi Região da Produção, Saul João Rovadoscki, avalia o ano de 2018 e as perspectivas e planos para 2019. Confira:

Como o senhor avalia os resultados alcançados em 2018 diante das expectativas de crescimento?
Saul Rovadoscki – O ano marcou a comemoração dos 35 anos de atuação da Sicredi Região da Produção, e finalizamos 2018 com saldo positivo e com um crescimento acentuado em todos os produtos e serviços ofertados pela cooperativa. Para 2019, independente da economia brasileira, vamos seguir ao lado dos nossos associados, atendendo as necessidades e auxiliando para o crescimento pessoal e profissional do nosso quadro social e de colaboradores.

Como o senhor analisa a perspectiva de investimento e fomento de negócios no País para 2019?
Rovadoscki – Acreditamos que a retomada de investimento no País acontecerá na medida em que voltar a confiança da classe empresarial e já se percebe uma melhora nesse quesito, mesmo que de forma lenta. De maneira geral, acreditamos na retomada do crescimento da economia brasileira.

Comente sobre a expansão da Sicredi e a que fatores o senhor atribui esse avanço.
Rovadoscki – A Cooperativa tem apresentado um crescimento constante e sólido, mas precisamos olhar para o futuro e buscar uma maior participação no mercado, ampliando a base de associados nas regiões onde atuamos e buscando novos mercados expandindo para outras regiões, com o objetivo de buscar uma maior escala de abrangência.

Quais os principais valores que fazem do Sicredi uma cooperativa forte e com crescimento potencial a cada ano?
Rovadoscki – A Sicredi Região da Produção sempre buscou o equilíbrio na gestão e o atendimento às necessidades dos associados, sendo um instrumento de organização econômica da sociedade, com atendimento diferenciado do mercado financeiro tradicional, estando sempre próximo dos associados e comprometida com as comunidades onde está inserida, promovendo o desenvolvimento regional e a melhora na qualidade de vida dos associados, sem abrir mão de uma gestão qualificada, transparente, participativa, praticando sempre os valores cooperativismo.

Quais novidades que a Sicredi prepara para o ano de 2019?

Rovadoscki – Em nosso planejamento para 2019 ampliaremos a participação no mercado onde atuamos, com expansão dos espaços físicos e abertura de mais duas agências no município de Chapecó. Além disso o projeto de expansão prevê a inauguração da primeira agência no Estado de Minas Gerais, no Município de Sete Lagoas.

 

(fonte: MB.Comunicação)

Veja também

Receita fiscalizará 7 mil contribuintes e quer recuperar R$ 164 bi06/05 Foto: Marcelo Casal/Agência Brasil A Receita Federal já identificou sete mil contribuintes que serão fiscalizados por sonegação no primeiro semestre de 2019. Entre os setores que estão na mira do Fisco este ano, figuram os de cigarros, bebidas e combustíveis. A previsão da Receita é recuperar R$ 164,96 bilhões em tributos. “No......

Voltar para Economia