Postado em 02 de Agosto às 08h54

Dinheiro aplicado em poupança por xaxinenses supera R$ 140 milhões

PORTAL DX - O melhor da informação da Região Oeste de Santa Catarina Júnior Reginatto - assessor de Investimentos/Foto: Arquivo pessoal Por Iunes Ferraz/Diário Data X - Você já deve ter ouvido falar que...

Júnior Reginatto - assessor de Investimentos/Foto: Arquivo pessoal

Por Iunes Ferraz/Diário Data X - Você já deve ter ouvido falar que não ninguém mais tem dinheiro, pois bem, esta afirmação pode até ter um fundo de verdade, isso porque ninguém mais tem dinheiro em casa, mas ele está bem guardado. Segundo dados do IBGE, em apenas três instituições financeiras, os xaxinenses têm guardado mais de R$ 140 milhões, um rendimento mensal de R$ 482mil. Em nossa entrevista especial de economia, o consultor financeiro Júnior Reginatto esclarece os prós e contras de se investir na poupança e quais outras formas seguras de investimentos. 



Junior, os dados do IBGE mostram que os recursos depositados em poupança hoje pelos xaxinenses são superiores a 140 milhões? Como você considera esse número em relação à média de outros municípios?

Para ser mais exato Xaxim possui R$ 141.844.074,00 aplicados em poupança (Fonte: IBGE). É um número bastante expressivo, dado o porte da cidade. Por pessoa, Xaxim supera em aproximadamente R$ 114,20 a média per capita do estado. Santa Catarina tem no total mais de 32 bilhões investidos em poupança nas instituições bancárias. Na nossa região (Cidades vizinhas) a média é bem parecida. O pessoal as vezes até diz que não tem dinheiro por aqui, mas alguns estão mentindo. Não é o IBGE que está mentindo, isso eu tenho certeza.

Este número não compreende cooperativas de crédito, então poderá ser bem maior este valor, certo? Alguma estimativa?
Sim, de fato o número divulgado pelo IBGE compreende somente as instituições bancárias. Ou seja, no caso de Xaxim, temos 141 milhões em poupança considerando apenas o Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Bradesco. Cooperativas como Sicredi e Sicoob não estão contabilizadas nesse número. É difícil saber o valor exato, mas sabemos que são instituições com bastante abrangência de atendimento por aqui. Têm crescido bastante nos últimos anos. Bom, uma vez que em média os bancos de Xaxim em poupança é mais de 47 milhões cada um, é plausível pensar que todas cooperativas juntas possam adicionar pelo menos mais uns 60 milhões nessa conta. Ou seja, acredito que é possível estimarmos que Xaxim hoje ultrapasse 200 milhões investidos em poupança (Sem considerar aplicações de depósito a prazo como CDB, RDB, etc).

Quais aspectos culturais podem influenciar na forma das pessoas investirem as economias?
É claro que o tradicionalismo é algo forte para nós. Somos conservadores por natureza aqui. A poupança é um tipo de investimento bancário que existe há mais de 150 anos! Foi criada durante o império por Dom Pedro II. É um produto de baixo risco, rende juros mensais, enfim, a priori, todos aparentemente sabem como funciona a poupança. Nossos pais e avós possivelmente também aplicaram em poupança. Quer algo mais tradicional e conservador que isso? Algo que o nosso avô já fazia. Acredito que essa cultura nos investimentos é uma herança que muitas pessoas ainda carregam sem se questionar muito o porquê.

A poupança rende menos, porque elas optam pela poupança, medo de perder?
Medo é um dos motivos. Infelizmente não tivemos aulas de economia, tampouco finanças na escola, o que é uma lástima. Poucas pessoas guardam dinheiro (apenas 20%). Desses que conseguem guardar, 75% guardam na poupança. E 15% guarda em casa. É inacreditável. A poupança rende apenas 70% SELIC, que ontem (31/07) foi reduzida mais uma vez, chegando ao menor patamar dos últimos 33 anos. Em resumo, a poupança rende atualmente 0,34% ao mês. E pode vir a render menos, caso o governo faça mais cortes na taxa de juros, algo que já está desenhado pelos economistas para que aconteça (Estimativa que possa chegar à 5%a.a. Nesse cenário a poupança renderá 3,5% ao ano). Acredito que a falta de educação financeira é um dos principais motivos das pessoas optarem pela poupança.

Que outras formas de investimentos se têm no mercado e que são confiáveis?
Várias, pois o mercado financeiro é muito amplo. Pense o quanto todas as áreas se desenvolveram nos últimos 150 anos (engenharia, medicina, tecnologia, etc). Será que o mercado financeiro ficou para trás, ainda temos que investir em poupança, um produto do tempo que se andava a cavalo? Logicamente, não. As pessoas desconhecem, mas existem alternativas até mais seguras que a própria poupança, como o Tesouro SELIC, com rentabilidade superior. Muitas vezes o foco do banco onde temos a conta corrente é emprestar dinheiro aos correntistas, nem sempre encontramos um especialista em investimentos do outro lado da mesa. O investidor deve sempre comparar, assim as chances de fazer bons investimentos aumentam. Nem sempre a melhor alternativa está no banco onde temos a nossa conta. Uma assessoria ajuda nesse caminho. É o que fazemos aqui no nosso escritório: ajudar pessoas, famílias e empresas a investir melhor. Enfim, existem diversas formas. Basta cada um buscar o conhecimento que não nos foi dado na escola.

Há um discurso de falta de dinheiro e crise, o quão é ruim para a economia essa postura da população?
Estamos saindo de uma crise, realmente. Os últimos anos do governo anterior deixaram alguns estigmas na sociedade. Essa postura mais poupadora dos últimos anos é o que também ajuda a forçar os juros mais para baixo atualmente. Os cofres estão cheios. Quando a SELIC era 14%a.a, dificilmente alguém se sentia atraído para abrir um negócio, investir em algum setor, bolsa de valores, etc. Se você pode ganhar 14%a.a fixo, sem fazer nada, pra quê tirar o recurso do banco? Agora, com os juros em 6%a.a., as pessoas estão vendo seu dinheiro render menos da metade do que há 3 anos atrás. Isso força as pessoas a tirar o dinheiro do banco, gastarem mais, torna o crédito mais barato para quem deseja tomar crédito, aumenta a atratividade para outros negócios, etc. É claro que mais dinheiro girando na economia pode gerar inflação. No entanto, a inflação no Brasil está bem controlada. Até que isso não mude, não há perspectiva para o governo subir os juros (SELIC). Acredito que aos poucos a população vai mudar o discurso, ir se tornando mais otimista com o mercado e “quebrar o porquinho” para investir melhor os recursos.

Quanto rende os 141 milhões por mês e quanto poderia render em outro investimento, e de forma segura?
Na poupança, esse saldo aumenta mensalmente R$ 482.269,85. Em um ano, a rentabilidade é de 5,9 milhões. Em Tesouro Selic, em 1 ano a rentabilidade líquida desse recurso passaria de 7 milhões. Menos risco, mais retorno.

Como assessor de investimentos, quais são algumas dicas para investidores?
Buscar aprender sobre o mercado financeiro, sobre as diversas formas de investir, conversar com profissionais da área e comparar alternativas. Talvez o Brasil demore muitos anos ou quiçá nunca mais volte a ter uma taxa de juros acima de 10% ao ano. As pessoas vão precisar aprender sobre investimentos. Recentemente assisti uma palestra do Paulo Guedes em São Paulo onde ele disse que “o Brasil não será mais o país dos rentistas (se referindo a quem vive de juros)”. Quem não souber investir, vai ver seu dinheiro render cada vez menos, como tem acontecido com a famigerada poupança.

Veja também

Empréstimo de nome é responsável por 24% dos casos de inadimplência05/06 O empréstimo de nome é uma das principais causas da inadimplência no país. Um levantamento feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostra que, entre os brasileiros que limparam o nome nos últimos 12 meses, 24% haviam entrado para a lista de inadimplentes porque......

Voltar para Economia