Postado em 21 de Agosto às 09h52

Consumidores residenciais da Celesc passam a pagar 2ª menor tarifa do País

PORTAL DX - O melhor da informação da Região Oeste de Santa Catarina A Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL, acaba de anunciar o valor do reajuste a ser aplicado nas tarifas cobradas pela Celesc...

A Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL, acaba de anunciar o valor do reajuste a ser aplicado nas tarifas cobradas pela Celesc Distribuição no período de 22 de agosto de 2019 a 21 de agosto de 2020.

O valor do reajuste é diferenciado para cada classe de consumo e o seu efeito tarifário médio ao consumidor será de -7,80%. Com os novos valores, a tarifa residencial aplicada pela Celesc passa a ser a segunda menor entre todas as concessionárias de distribuição de energia do País. A informação foi destacada pela ANEEL na manhã de ontem, durante a Reunião Pública da Diretoria da Agência.

Os itens que mais impactaram para a composição do valor do reajuste foram a redução do custo dos encargos setoriais e a variação dos itens que correspondem aos componentes financeiros do ciclo vigente e do anterior. Estes dois últimos itens correspondem, majoritariamente, a ajustes em função dos descasamentos das despesas com compra de energia nos dois períodos. O preço da energia é muito volátil, pois, depende do clima, quantidade de chuvas, níveis de reservatório e até do consumo. A ANEEL faz uma previsão dos preços ao definir as tarifas e depois ajusta nos processos seguintes.

Veja também

Prefeitura e CDL de Xaxim querem desenvolver o comércio de Marema08/07 Uma parceria para desenvolver ações de inventivo ao comércio local foi estabelecida entre a Prefeitura de Marema e a CDL de Xaxim (Câmara de Dirigentes Lojistas). O assunto foi discutido na última semana, durante uma......
Jovens brasileiros lideram abertura de MEI no setor do comércio18/12/18 Levantamento traçou o perfil dos consumidores que se tornaram microempreendedores individuais entre janeiro e setembro de 2018. Pessoas de 41 a 50 anos preferiram apostar na indústria....

Voltar para Economia