Postado em 26 de Fevereiro de 2019 às 10h01

Melhor uma invasão de zumbis do que um mundo tomado por agressores

Acompanhar o que anda acontecendo no mundo tem sido viver naqueles filmes de terror de péssima qualidade que nos fazem reféns de uma dúvida: será que a humanidade tem solução? 

Por Joimara S.Camilotti 

Acompanhar o que anda acontecendo no mundo tem sido viver naqueles filmes de terror de péssima qualidade que nos fazem reféns de uma dúvida: será que a humanidade tem solução? Quando nos deparamos com situações rotineiras de agressões, que vão de uma marca roxa até uma morte, é que paramos para pensar se é esse o mundo em que desembarcamos. Quando tudo começou a se tornar assim? Como as pessoas estão tão descontroladas? Agressivas? Surtadas? Loucas?

Presenciamos uma semana de atrocidades e violência em todos os cantos do mundo. E vimos isso só com aquilo que chegou até nós, sem precisar vasculhar o Google em busca de mais casos. Não tem como não se perguntar: “o que estamos fazendo?”

É vídeo que mostra pai em terras catarinenses tirando o chinelo em plena rua e dando a famosa “tunda de laço” na filha que nem quatro anos de idade deveria ter, depois a jogando no chão como se fosse um saco de lixo. Não bastasse, no eixo do desenvolvimento do Brasil (Rio/São Paulo), um segurança sem noção (para não usar outro termo) segura um homem que ameaçou sem arma seus semelhantes, lhe contendo com a força de mil homens, a ponto de matar a pessoa com um golpe chamado de gravata, isso tudo na presença da mãe do jovem e clientes do supermercado. Aí vem um jovem de 27 anos bem afeiçoado que conquista uma mulher via redes sociais, conversam por oito meses e quando ela resolve conhecer o “príncipe”, descobre que abriu as portas de casa para um psicopata que se justifica dizendo ter tido um surto. A agressão que o jovem cometeu contra a mulher deixou o apartamento da vítima parecendo um açougue de tanto sangue. E se falarmos de agressão contra mulheres, aqui pertinho de nós, em Xaxim, um homem não hesitou em partir o rosto da companheira com um machado e outro que invadiu a casa, onde o filho vivia e esfaqueou a ex-companheira. 

Agressões que vão até o Planalto, órgão máximo do respeito e organização de uma nação. Onde já se viu o filho de um presidente chamar, em rede nacional, o companheiro de estrada de mentiroso? Lá se vai o governo Bolsonaro tendo mais uma baixa e deixando sinais de que as coisas não vão bem. E, para terminar, nos deparamos com uma volta no tempo, em uma época em que muitos só viram em livros: Donald Trump querendo construir um muro para evitar que refugiados entrem nos Estados Unidos.

Que mundo é esse?

Veja também

Xanxerenses e os passeios públicos27/11/18 A falta de conservação dos passeios públicos da Campina continua sendo um problema. Já melhoramos muito, com calçada em locais que antes não existia, mas o problema ainda existe. Na Rua Irmão Inocêncio Athanásio, no Bairro Veneza, o passeio já mostra as marcas do tempo, não bastasse os buracos que se abriram ao longo do trecho, trazendo......
O ser humano19/03/19 O ser humano é algo muito complexo, mas bem na verdade, na maioria das vezes, ele é apenas um peso extra no mundo, apenas um monte de ganância, dependente do poder e da influência que toma decisões tolas devido a sua......
Devolvendo na mesma moeda30/01/19 Tem um ditado que diz: “bala trocada não dói”! Essa é a máxima que estão usando para tentar entender o convite do prefeito Avelino Menegolla ao ex-prefeito Ademir Gasparini (Miri) para assumir a Secretaria de......

Voltar para Colunistas