Postado em 03 de Setembro de 2019 às 09h44

Raiva pode ter causado morte de cavalo em Siderópolis

PORTAL DX - O melhor da informação da Região Oeste de Santa Catarina Foto: Siderópolis Noticias Um equino (cavalo) morreu na localidade de Jordão Alto, em Siderópolis. De acordo com o Departamento Regional da...

Foto: Siderópolis Noticias

Um equino (cavalo) morreu na localidade de Jordão Alto, em Siderópolis. De acordo com o Departamento Regional da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina – Cidasc, o animal apresentou sintomas de raiva e marcas de morcego, porém, só é possível a confirmação da doença após o óbito, coletagem e análise do material, que segundo o Cidasc, sairá daqui aproximadamente 15 dias.

O Cidasc está orientando produtores rurais na região que façam a imunização dos animais contra a raiva. Outros cavalos já apareceram com marcas de morcego e sintomas de raiva na localidade de Jordão Alto.
“A cada três a cinco anos há casos de surtos de raiva de herbívoros (doença transmitida pelo morcego aos animais) na região. É importante vacinar o animal, porque vai impedir que a doença continue o ciclo e ocorra com essa frequência. A orientação é sempre vacinar contra a raiva. Não é uma vacina obrigatória, mas recomendamos que vacine. Ocorre que quando recebemos o resultado, aí se torna obrigatório em uma área de 12 quilômetros da área do foco”, disse a médica veterinária do Cidasc, Carla Zoche.

Saiba como se prevenir da Raiva
A raiva é uma doença transmissível que atinge mamíferos como cães, gatos, bois, cavalos, macacos, morcegos e também o homem, quando a saliva do animal infectado entra em contato com a pele ou mucosa por meio de mordida, arranhão ou lambedura do animal. O vírus ataca o sistema nervoso central, levando à morte após pouco tempo de evolução. A raiva não tem cura estabelecida (há apenas três casos de cura conhecidos no mundo, um deles no Brasil) e a única forma de prevenção é por meio da vacina.

O animal doente elimina o vírus da raiva pela saliva, por isso não devemos colocar a mão na boca de cavalos ou bovinos que estejam com dificuldade de locomoção e/ou salivação intensa. Usualmente, a doença é transmitida através da mordida do animal infectado, mas o simples contato entre saliva e feridas abertas, mucosas e arranhões também propaga o vírus.


Para ajudar no controle da raiva
– Vacine seu rebanho contra a raiva;
– Informe ao escritório da Cidasc mais próximo sempre que seus animais ficarem doentes e apresentarem dificuldade para caminhar, se alimentar, e/ou agressividade
– Caso seus animais tenham marcas de mordedura causada pelo morcego hematófago, comunique a Cidasc, mesmo que não estejam doentes;
– Avise ao médico veterinário da Cidasc se souber de algum local que possa abrigar morcegos hematófagos, tais como, cavernas; grutas; ocos de árvore; túneis; bueiros; passagem sob rodovias, cisternas e poços; casas e construções abandonadas.
 

Veja também

Sedentarismo é o tema do projeto “Xanxerê, cidade do coração” em 201905/07/19 FOTOS: IUNES FERRAZ/ PORTAL DX A Associação Empresarial de Xanxerê – Acix, em parceria com o Hospital Regional São Paulo (HRSP), lançaram nesta sexta-feira (05) a 6ª edição do projeto “Xanxerê, cidade do coração”. Para este ano, o tema escolhido para a conscientização das crianças é......
Governo de Xaxim garante construção de Complexo Esportivo06/09/19 Depois das interferências realizadas pela Ong Salva no antigo Módulo Esportivo do Botafogo, o local voltou ao abandono, situação na qual esteve por mais de 20 anos. Até mesmo o local que foi reformado por mãos e......

Voltar para Cidades