Postado em 07 de Fevereiro de 2019 às 09h05

Helicóptero que atende governador fará transporte de órgãos em Santa Catarina

Prioridade para a vida. Com esse objetivo em mente, o governador Carlos Moisés assinou um convênio que permitirá utilizar para transporte de órgãos o helicóptero alugado até então exclusivamente para locomoção do chefe do Executivo catarinense.

Florianópolis -Prioridade para a vida. Com esse objetivo em mente, o governador Carlos Moisés assinou nesta quarta-feira, 6, um convênio que permitirá utilizar para transporte de órgãos o helicóptero alugado até então exclusivamente para locomoção do chefe do Executivo catarinense. A assinatura ocorreu na Casa D'Agronômica, com a presença dos secretários Douglas Borba (Casa Civil), Helton Zeferino (Saúde), João Carlos Neves Júnior (Casa Militar), e do major bombeiro George de Vargas Ferreira, coordenador de transporte aéreo da Casa Militar.

O governador explicou que o atual contrato de aluguel da aeronave condiciona o pagamento de ao menos 25 horas mensais de voo e que, diante do tempo ocioso do equipamento, foi sugerido pela Casa Militar outra utilização. Desde o início do mandato, em 1º de janeiro, Moisés não voou com o helicóptero. Trata-se de um modelo Esquilo com capacidade para quatro passageiros.

“Nós entendemos que, além de ficar à disposição para o governador, o helicóptero pode atuar também na saúde. De que forma? Sendo colocado à disposição de quem faz o transplante de órgãos, com o transporte de uma unidade hospitalar para outra. Esse gesto vem na linha do que nós temos pregado: as ações do governo precisam ser boas não para quem governa, mas para quem vive e está em Santa Catarina”, disse o governador, salientando ainda que o estado ocupa posição de destaque em relação aos transplantes de órgãos.

Veja também

Influenza - dose já foi aplicada em mais de 60% do público-alvo em Passos Maia06/05/19 A mobilização segue até o dia 31 de maio. Dentro do público-alvo, devem se vacinar gratuitamente crianças entre seis meses e menos de seis anos de idade, gestantes e mães no pós-parto, trabalhadores da saúde, professores, idosos acima de 60 anos e doentes crônicos (hipertensos, diabéticos e outras doenças). Um roteiro no interior do......

Voltar para Cidades